20 idéias para manter sua coleção de jogos de tabuleiro sob controle (parte 2)

board-games-2

Com o aumento da oferta de jogos de tabuleiro no mercado nacional existe uma grande chance da sua coleção crescer dia após dia. E depois de um tempo você começa a refletir se sua coleção não está grande demais, se você está aproveitando-a da maneira que deveria. Um usuário do Board Game Geek montou uma lista bem interessante com algumas recomendações para manter sua coleção em ordem.

Lembrando que são apenas idéias que nem sempre se aplicam a todo mundo, mas de maneira geral são interessantes para quem quer organizar a casa.

Confira abaixo a segunda parte das idéias para deixar sua coleção organizada (leia a primeira parte aqui):

11. Evite jogos impraticáveis de jogar

Alguns jogos que você goste e queira jogar podem ser quase impossíveis de serem jogados, como jogos muito longos ou difíceis de ensinar. Ou se você joga na casa de outras pessoas o tamanho da caixa também pode ser complicado, ou o tamanho da mesa necessária para jogar. Um jogo bom, que todos gostam mas ainda assim não é jogado é um desperdício de espaço na sua estante.

12. Não gaste dinheiro para economizar dinheiro

Não compre um jogo que você não estava planejando para economizar dinheiro, para conseguir um frete grátis ou mais barato em uma compra maior, por exemplo. Seria melhor esperar você ter jogos mais qualificados para então comprar com o frete grátis, afinal aquele jogo meio desconhecido só para ter um frete grátis talvez nunca seja jogado e permaneça na sua estante apenas ocupando espaço.

13. Evite expansões

A maioria da expansões não valem à pena. Adicionam regras e componentes e as vezes permitem jogar com mais jogadores. O seu conteúdo pode ser bom mas quantas vezes melhor ela tornou o jogo? Na minha experiência são poucas que realmente valem o investimento.

Quando vale à pena compra-las? Quando você realmente ama o jogo e quer mais variedade ao jogo ou tem uma boa razão para crer que a expansão melhorará muito o jogo. Se o comentário geral é “eu nunca mais jogarei o jogo base novamente sem a expansão” é um bom sinal a respeito da expansão. Expansões que substituem componentes do jogo podem fazer sentido também. No geral se você quer mais variedade talvez seja melhor jogar um jogo completamente diferente.

14. Evite sequências especialmente se você possui o original

Na grande maioria dos casos, sequências são como expansões que ocupam mais espaço na estante. Geralmente pegam jogos de sucesso e adicionam mudanças ou complicações. Pela sua natureza, não são diferentes o suficiente do original para justificar possuir ambos e se são melhores que o original não o são muito.

Sequências funcionam para livros e filmes porque as pessoas que gostam do original querem “mais do mesmo” o que não se aplica aos jogos onde você pode simplesmente joga-lo novamente. O grande ponto dessa regra é: Se você realmente quer a sequência de um jogo que já possui porque você acha ela melhor, você deveria passar o original para frente.

15. (Quase) nunca participe de financiamento coletivo

Financiamento coletivo é ótimo para as editoras. Permitem que eles consigam fundos, publiquem e divulguem seus jogos. Ótimo também para colecionadores que desejam aumentar suas coleções.

Mas ele é horrível para quem deseja manter a coleção sob controle. A maioria é de jogos que nunca foram lançados (e consequentemente não podem ser jogados antes) e não dá pra dizer muito bem se o jogo é bom ou não ou mesmo se você ainda terá interesse em mantê-lo na sua coleção quando ele for lançado.
Então quando seria o momento de participar um? Quando for o relançamento um jogo que você jogou antes e realmente quer, ou for uma expansão muito interessante (veja a regra 13 para expansões).

16. Ignore os jogos grátis

Alguns eventos muitas vezes oferecem jogos gratuitos para os participantes. Ao menos que você tenha a oportunidade de pegar algo que realmente lhe interesse você pode deixar passar. Claro que isso ainda não é uma realidade muito presente nos eventos no Brasil, sendo mais comum lá fora, mas o ponto é: Não ocupe o espaço da sua estante com jogos que você não vai jogar.

17. Postergue novas compras

Você experimentou o jogo, gostou bastante e está pensando em compra-lo. Agora, espere um pouco! Ao menos que você queira esse jogo para a noite de jogos dessa semana, espere um pouco antes de compra-lo. Talvez valha a pena esperar você ter mais alguns outros para comprar e aproveitar o frete, ou talvez alguma promoção. Ou seja,espere um pouco até você realmente ter certeza de que deseja comprar esse jogo. Só tome cuidado com essa dica, pois o jogo pode ficar indisponível.

18.  Aplique todas essas regras para sua lista de desejos

Se você eventualmente possui uma lista de desejos e acaba compartilhando-a com seus amigos e família, é uma boa idéia você deixa-la bem atualizada e com todas essas dicas aplicadas à ela.

19. Você não precisa ter todo o jogo que gosta

É necessário manter a coleção dentro do tamanho que você estipulou e para isso você hora ou outra perceberá que não dá para manter todos os jogos que você gosta. No começo do ano eu peguei todos os jogos da minha coleção que avaliei como 7 ou menos e me desafiei a verificar porquê realmente eu precisava mante-los, colocando cerca de 40 jogos na minha pilha de jogos para troca ou venda. Alguns eu doei, outros troquei e vendi, como resultado reduzi minha coleção de 300 para cerca de 250 jogos.

20. Tenha em mente aquilo que seus amigos já possuem

Você tem um grupo regular para jogar? Você tem nesse grupo um amigo que tem um jogo favorito que jogam praticamente todas as vezes? Nesse caso você pode pensar melhor antes de comprar esse jogo, afinal se você tem acesso ao jogo de maneira constante é provável que sua cópia acabe não sendo jogada.

Considere sempre o que seus amigos e grupos de jogos já possuem antes de comprar algo para você que alguém no grupo já possua. Por mais que a tentação seja grande de possuir aquele jogo que você tanto ama, com o passar do tempo você vai joga-lo o suficiente e perceber que talvez realmente foi melhor não compra-lo.

Quais dicas você achou mais relevante para sua realidade? Conte sua experiência de como tem sido manter sua coleção sob controle 🙂

Curta e compartilhe nosso conteúdo com seus amigos e siga nosso BLOG e nossos canais na Ludopedia,  Facebook e no Instagram.

Anúncios

20 idéias para manter sua coleção de jogos de tabuleiro sob controle (parte 1)

Zanzi 2

Com o aumento da oferta de jogos de tabuleiro no mercado nacional existe uma grande chance da sua coleção crescer dia após dia. E depois de um tempo você começa a refletir se sua coleção não está grande demais, se você está aproveitando-a da maneira que deveria. Um usuário do Board Game Geek montou uma lista bem interessante com algumas recomendações para manter sua coleção em ordem.

Lembrando que são apenas idéias que nem sempre se aplicam a todo mundo, mas de maneira geral são interessantes para quem quer organizar a casa.

Confira abaixo a primeira parte das idéias para deixar sua coleção organizada.

Tente jogar antes de comprar, sempre que for possível

As vezes não é possível seguir essa regra, mas se você fizer um esforço ficará surpreso com a quantidade de jogos que você não vai dar tanta importância independente da posição no ranking ou pelo fato de “todo mundo” dizer que ele será o próximo melhor jogo de todos os tempos. E sinceramente,  é mais fácil avaliar um jogo que você não gastou um monte de dinheiro nele. É claro que as vezes você precisará comprar para jogar, mas nesse caso seja cuidadoso na sua seleção.

Não compre jogos “OK”

Com tantos jogos bons no mercado, porque você vai investir seu precioso dinheiro em jogos que são apenas “OK” ? É quase tão ruim ter um jogo OK na coleção quanto um jogo ruim, pois o jogo ruim irá embora logo, já o jogo OK ficará na sua estante pois ele é bom o suficiente para ficar mas não tão bom o suficiente para ser jogado.

Reduza sua coleção sem dó

Se você não gostou do jogo ou foi apenas um jogo OK em uma categoria já bem “povoada” na sua coleção, ou mesmo se é um jogo que você já está cansado dele, venda-o ou troque. Não fique preocupado com as avaliações dos demais, se você realmente já deu atenção suficiente para o jogo e realmente não gostou. O segredo para manter uma pequena coleção (ou reduzi-la quando necessário) é ter certeza de que realmente cada jogo merece seu lugar ali. É importante também reavaliar constantemente se um jogo que você gostou mas está parado faz um tempo já, se ele ainda merece estar ali. Você realmente vai joga-lo mesmo tendo diversas outras opções para escolher?

E não se preocupe com a possível dificuldade de obtê-lo no futuro caso deseje, jogos bons geralmente voltam ao mercado e com um pouco de sorte e paciência você vai compra-lo novamente.

Evite bons negócios “suspeitos” de jogos que você nunca jogou

Geralmente o negócio é interessante porque o jogo não é. Aquele dinheiro que você investiu naquele título totalmente desconhecido não volta mais e o jogo ficará parado na sua estante.  Um jogo bom pelo seu preço “cheio” é mais negócio pois será jogado muitas vezes. Isso não significa que você não deve aproveitar promoções, muito pelo contrário, tente comprar jogos que você já estava de olho por um preço reduzido. Se aquele jogo em promoção não valia para você seu preço “cheio” provavelmente não será muito jogado nem mesmo pela metade do preço.

Preste atenção ao gosto do seus amigos

Se todos os seus amigos com que você joga gostam de euros rápidos, não importa o quanto você gosta de Twilight Imperium, ele seria uma compra ruim. Claro que se você está realmente interessado em um jogo você pode procurar pessoas que gostem também e nesse caso você jogaria sem talvez precisar comprar o jogo. Mas no geral é importante saber o que seu grupo gosta para fazer boas compras.

Considere os rankings, especialmente quando comprar um jogo que você nunca jogou

Mesmo que você tenha lido o manual e tenha certeza que vai gostar do jogo, uma avaliação geral baixa pode ser um alerta. Leia os comentários e procure entender porquê as pessoas não gostaram do jogo. E mesmo que você tenha jogado e gostado você deveria ficar atento a isso, simplesmente porquê (normalmente) não dá para jogar sozinho e se a maioria das pessoas não gostou do jogo você não vai joga-lo o quanto deseja. Claro que se você tiver um grupo já interessado no jogo, essa regra não se aplica.

Não compre jogos somente “pela possibilidade”

Compre jogos que você quer jogar agora. Com a expansão do mercado fica cada vez mais fácil comprar uma cópia depois daquele lançamento se você quiser joga-lo depois. Está pensando que talvez vá precisar de uma expansão lá no futuro para dar uma renovada naquele jogo? Compre então quando precisar e não agora. Você pode pensar que talvez no futuro essa aquisição seja mais cara do que agora, mas e daí? O dinheiro que você não vai gastar agora por algo que vai ficar parado na sua estante será mais relevante do que uma eventualmente diferença de preço.

Não compre (ou mantenha) grandes jogos que você não gosta

Haverão jogos que todos menos você gostarão. Você pode dar algumas chances e mesmo assim não gostar deles. E isso é perfeitamente normal. Você não deve ter esses jogos na sua coleção só para não ser chamado de  “maluco” por não tê-los. Ter esses jogos só aumentará a chance de ter que joga-los eventualmente quando você preferiria jogar outra coisa mais interessante para você.

Venda ou doe jogos que você não quer mais mas não consegue trocar

Geralmente você consegue bons negócios fazendo trocas, e ao menos que realmente deseje reduzir o tamanho da sua coleção, trocar jogos é uma boa idéia. Mas caso não consiga troca-lo por nada do seu interesse o melhor caminho pode ser a venda. Você pode tentar a troca ou venda em diversos grupos no Facebook ou mesmo na Ludopedia que possui uma extensa listas de trocas com propostas interessantes.

Aplique essas regras para trocas

Não diminua seus requisitos quando trocar jogos. Somente porque você recebeu uma oferta justa para trocar seu jogo por um jogo que você considera “OK” isso não significa que você precise troca-lo. Lembre-se que talvez você ainda precise pagar o envio do jogo, sendo mais um custo para você. Considere trocas da mesma maneira que você deve considerar novas aquisições.

Se você trocar seu jogo por um jogo que você não jogou e nem ao menos conhece, e sem perspectiva de joga-lo pode ser que você talvez tenha que no fim das contas vende-lo, não fazendo sentido trocar seu jogo por algo que vai ter dar o trabalho de vender no futuro.

Qual idéia você achou mais interessante? Já aplicou algumas delas na sua coleção e conseguiu bons resultados? Deixe seu comentário 🙂

Curta e compartilhe nosso conteúdo com seus amigos e siga nosso BLOG e nossos canais na Ludopedia,  Facebook e no Instagram.

 

Como se tornar um jurado de um dos prêmios mais famosos do mundo dos jogos de tabuleiro?

Spiel des Jahres é um dos prêmios mais famoso do universo dos jogos de tabuleiro, que premia anualmente jogos lançados na Alemanha em diversas categorias (se quiser leia nossa série sobre jogos premiados por eles e algumas curiosidades a respeito clicando aqui).

Você não pode simplesmente se candidatar ao posto de jurado do “Spiel des Jahres“. Esse posto não é divulgado e você não pode enviar seu currículo.

Você é, na verdade, chamado para ser jurado. Ou colocando de maneira mais simples, você é convidado pelos outros júris para fazer parte do grupo.

De modo realista isso não é para todo mundo: Isso consome muito do seu tempo.

Essa foi a experiência do jurado Udo Bartsch:

“O dia que o júri me contatou foi em Junho de 2007. O telefone tocou e o diretor do Spiel estava na linha. Ele me disse que havia uma vaga disponível e sugeri então que nos encontrássemos. Foi mais ou menos como uma entrevista de emprego, dois se reunindo e discutindo a respeito da vaga.

Mas não existe nessa discussão uma discussão sobre salário, por exemplo, pois o posto de jurado é honorário, e como se sabe todo o trabalho nesse estilo envolve um monte de trabalho. O candidato precisa estar plenamente ciente disso. E eu fui claramente avisado.

Os jurados não se encontram em um dia específico para escolherem os jogos vencedores. Mas durante meses os jurados trocam experiências, análises e pensamentos em um fórum privado na internet. E se você acredita nos outros jurados você vai passar muito tempo jogando: Como jurado você simplesmente nunca vai jogar o suficiente.

O mais importante é que você precisa jogar com gente fora do seu círculo imediato e não somente com grupos com os mesmos gostos e interesses. Se você quer ser um jurado você precisa estar preparado para colocar os jogos na frente da sua vida, pelo menos no seu tempo livre.

Obviamente não é apenas isso. O Spiel é uma associação bem pequena com apenas 16 membros. Essa associação organiza cerimônias de premiação, publica uma revista, tem presença na internet e distribui prêmios entre outras coisas. E tudo isso é organizado e administrado pela equipe administrativa e também pelos jurados.

Um membro da associação precisa trazer consigo muito tempo e dedicação, ele precisa jogar muito e estar preparado para discutir seus jogos. E o mais importante de tudo: Ele precisa ser um crítico de jogos!

Isto porquê o júri do Spiel é um júri crítico.

Primeiramente, o que seria um crítico de jogos afinal? Eu encontro pessoas que não sabem, porque o conceito de crítica de jogos não é tão divulgado quanto alguns jogadores gostariam. Então: Um crítico de jogos não é alguém que cria jogos nem alguém que testa jogos que estão quase prontos para serem lançados.

Ele faz o mesmo que um crítico de música, teatro, livro ou filme faz, mas com jogos.

Então ele joga e depois publica sua opinião a respeito. Sua audiência são consumidores, leitores de blogs, ouvintes de podcasts, assinantes de canais no YouTube e assim por diante.

Para ser um crítico você precisa de uma mídia para publicar sua crítica. Quando comecei a escrever reviews no final da década de 90 eu precisava de um jornal para publica-las. Hoje pode-se obter facilmente audiência nos meios digitais.

O tipo de publicação no entretanto é fundamental: O Spiel tem como objetivo primariamente uma audiência menos informada. Críticos especializados em jogos para experts não se recomendam como jurados. Isso é ainda uma realidade maior para aqueles que são fãs ao invés de críticos e não possuem distância suficiente do objeto da crítica.

Também é recomendado consistência e experiência. E ainda muito importante, independência. O Spiel é um prêmio independente. Ninguém que cria, desenvolve, vende ou trabalha com editoras pode se tornar jurado. Mais uma coisa: Alguém que escreve sobre jogos não é automaticamente um crítico, pois isso envolve análise, avaliação e comparação. Para ser um crítico você precisa de conhecimento. Você precisa realmente jogar muito e a muito tempo, quanto mais melhor.

Como se tornar um jogador?

Minha teoria é: Você não se torna, você simplesmente é um. Pessoas jogam desde seu nascimento. Jogar é uma maneira vital de encontrar seu lugar no mundo. É da natureza humana jogar, alguns apenas pararam com isso em algum ponto no meio do caminho.

Para alguns a vida é completamente preenchida pelo trabalho e família. Para outros não existe com quem jogar. Outros simplesmente perderam o prazer de jogar. Mas igualmente muitos continuam jogando ou redescobrem isso novamente depois de adultos.

Uma paixão especial por jogos pode florescer em alguém por conta de seus gostos pessoais, condição de vida, círculo de amizades, vida social ou trabalho. É algo individual e não precisa ser discutido aqui. O suficiente para se dizer é: Um jogador é alguém que joga.

E se você quer redescobrir o prazer de jogar ou mesmo jogar algo diferente você pode experimentar os jogos recomendados pelo jurados do “Spiel des Jahres“. Essa recomendação é feita justamente para promover e espalhar o prazer de jogar e ajudar quanto mais pessoas o possível à jogarem.”

Curta e compartilhe nosso conteúdo com seus amigos e siga nosso BLOG e nossos canais na Ludopedia,  Facebook e no Instagram.

19 idéias para deixar seu Istanbul ainda mais bonito!

istabul

Lançado no Brasil pela GROW, Instabul é um divertido jogo onde os jogadores assumem o papel de comerciantes que precisam negociar mercadorias para conseguirem rubis (se quiser ler nossa análise completa sobre ele clique aqui) através da movimentação por diversos lugares, conseguindo mercadorias, vendendo-as, expandindo sua carroça para assim comprar os preciosos rubis.

E vamos apresentar algumas idéias para você deixar o jogo ainda mais bonito e prático e também para guarda-lo melhor com inserts!

1

Uma carroça mais “realista”.

6

Insert em papel Pluma

7

Insert em papel Pluma

8

Uma peça em acrílico para deixar tudo mais organizado na sua carroça

9

Mais idéias para inserts

10

Mais idéias para inserts e organização.

11

Uma espécie de tabuleiro central para você acomodar as localidades.

12

Mais peças de acrílico, dessa vez para as localidades do jogo.

13

Uma espécie de tabuleiro central para você acomodar as localidades.

14

Mais idéias para inserts e organização.

15

Mais idéias para inserts e organização.

16

Mais idéias para inserts e organização.

17

Fichas para substituir as moedas

18

Insert em MDF

19

Mais idéias para inserts e organização.

20

Mais idéias para inserts e organização.

21

Mais idéias para inserts e organização.

22

Mais idéias para inserts e organização.

23

Mais idéias para inserts e organização.

Na sua opinião, qual acessório e/ou insert traz mais benefícios? Deixe seu comentário!

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos e siga nosso BLOG e nossos canais na Ludopedia,  Facebook e no Instagram.

8 jogos de tabuleiro para presentear sua mãe

Dia das mães está chegando, e uma boa opção de presente é um jogo de tabuleiro para sua mãe se divertir. Nessa lista apresentamos 8 jogos bem acessíveis mas que com certeza garantirão horas de diversão e boas risadas. Levamos em consideração jogos com uma relativa simplicidade e também em diversas faixas de preço.

Azul

Azul

Lançado no Brasil recentemente pela Galápagos, Azul além de muito bonito é aquele tipo de jogo que você joga 2-3 partidas na sequência e sempre fica com aquela vontade de jogar mais uma partida para tentar uma estratégia diferente. Não é um jogo barato, mas se sua mãe já gosta de jogar com certeza é uma ótima opção.

Kingdomino

Kingdomino

Trazido ao Brasil pela Papergames, Kingdomino traz como sua mecânica principal a idéia do dominó, o que facilita bastante seu aprendizado e assimilação. Muito simples mas com uma boa dose de decisões certamente vai agradar.

NMBR9

NMBR9

Em NMBR9 cada jogador recebe uma peça em forma de número e deve criar então uma pilha de números, onde cada nível da pilha pontua o nível vezes o número. Um jogo muito simples mas desafiador e interessante.

Potion Explosion

Potion Explosion

Em Potion Explosion o que você fará basicamente é: Retirar bolinhas do dispenser de ingredientes para fazer suas poções, e quando duas ou mais bolinhas da mesma cor encostam você desencadeia uma “explosão” e pode pega-las também. Um jogo muito bonito visualmente, fácil de jogar e com boas decisões durante a partida.

RED7

RED7

Terminar seu turno vencendo, essa é a proposta do RED7, um jogo de cartas bem simples onde cada turno tem uma condição para vencer diferente, ou você cumpre essa condição para continuar no jogo ou pode simplesmente altera-la. Rápido e muito divertido.

Sushi Go!

Sushi Go

Em Sushi Go! (leia nossa análise sobre ele aqui) você precisa acumular cartas em certos padrões, acontece que todas as cartas são compartilhadas e você vai escolher uma e passar as demais para o jogador à sua direita e receber as cartas do jogador à sua esquerda. Muito divertido, é uma opção de um jogo de cartas rápido e bem acessível.

Takenoko

Takenoko

Takenoko, o jogo do adorável panda comilão de bambu é uma ótima opção, seja pela beleza do jogo na mesa e também pelo fato do jogo ser relativamente tranquilo, sendo muito bacana de jogar.

Cartagena

Cartagena

Em Cartagena somos piratas tentando escapar da ilha de Cartagena, e o grande barato desse jogo é justamente a necessidade de saber gerenciar bem suas cartas e usa-las no momento mais oportuno. A versão brasileira da DEVIR ainda conta com diversas expansões e módulos de jogos, que adicionam bastante à partida.

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos e siga nosso BLOG e nossos canais na Ludopedia,  Facebook e no Instagram.

Por que jogar jogos que usam bastante a memória!

MM
Adaptado do texto do designer Bruno Faidutti

Jogos que dependem exclusivamente da sorte podem ser tornar entediantes e pouco desafiadores porque o que realmente traz animação em uma partida é o controle que o jogador pode ter sobre a mesma, com aquela sensação de recompensa ao fazer boas jogadas e/ou tomar boas decisões. De uma maneira geral adultos são muito melhores do que crianças em jogos que dependem grandemente de habilidades como táticas, estratégia ou até mesmo na destreza. Mas em contrapartida, a memória de curto prazo, a que é usada durante os jogos, é provavelmente a única em que as crianças são iguais, ou até melhores, do que os adultos. Portanto jogos que trabalham e usam a memória tornam-se desafiadores e engraçados para grupos compostos por adultos e crianças, até mesmo para famílias.

Uma tendência da época moderna é que a memória tem sido cada vez menos valorizada, do que outras habilidades intelectuais. E dentro do momento de jogar, acaba-se valorizando mais aqueles jogos com profundidade estratégica e por consequência a um entendimento pobre sobre o que seria jogar: que vença o melhor, como se jogar tivesse como objetivo de mostrar quem é o melhor, como se vencer provasse uma superioridade intelectual sobre os demais.

E dentro do contexto dos jogos que usam a memória não existe essa situação (ou ela é grandemente minimizada) porque aqueles que são bons com a memória de curto prazo são geralmente considerados engraçados e curiosos, e não necessariamente superiores. Existe tanta habilidade num jogo de memória quanto num jogo de xadrez, mas com menos drama.

E vamos listar 4 jogos que usam a memória para a criançada se divertir!

ccc

Chicken Cha Cha Cha (leia nossa análise aqui)

Nessa corrida das galinhas e galos a memória é fundamental para ultrapassar os obstáculos e roubar as penas dos outros competidores. Para crianças a partir de 5 anos.

Jpeg

As Escadas Assombradas (leia nossa análise aqui)

Nessa divertida aventura, os jogadores são transformados em fantasmas no meio do caminho e a confusão começa. Para crianças a partir de 4 anos.

Tabuleiro

My First Stone Age (Leia nossa análise aqui)

Além de coletar os recursos em diversas regiões do tabuleiro é fundamental lembrar das posições de cada ficha ao redor do tabuleiro para otimizar seus movimentos. Para crianças a partir de 4 anos.

Leo

Leo (Leia nossa análise aqui)

Nesse jogo cooperativo, sua turma precisa levar Leo para cortar o cabelo, mas o caminho é longo e será necessário lembrar do que vocês já encontraram pela frente para terem sucesso.

E para você? Jogos que usam intensamente a memória fazem sucesso? Quais os seus preferidos?

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos e siga nosso BLOG e nossos canais na Ludopedia,  Facebook e no Instagram.

 

 

 

 

37 idéias para deixar seu Robinson Crusoe ainda mais bonito!

Robinson Crusoe, do designer Ignacy Trzewiczek, é um dos jogos cooperativos mais sensacionais que existe, seja pelos diversos cenários para jogar, pelo nível de imersão que o jogo oferece ou pela bela produção do mesmo. Mas o pessoal não se dá por satisfeito com o que a caixa oferece e procura sempre dar uma embelezada nos diversos componentes que o jogo tem.

Confira 37 idéias para deixar seu Robinson Crusoe ainda mais bonito!

Na sua opinião qual a melhor customização? Vale à pena investir nisso?

Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe com seus amigos e siga nosso BLOG e nossos canais na Ludopedia,  Facebook e no Instagram.